05 maio, 2016

6 coisas essenciais para manter uma boa amizade

1. não tente impor a sua vontade, nem tudo precisa ser do seu jeito e você não precisa ganhar sempre.
Coisas que parecem tão óbvias, mas que frequentemente esquecemos. Não precisamos fazer sempre aquilo que gostamos, numa amizade de verdade haverá discussões porque você deve se sentir a vontade para reclamar de algo, isso é normal. O que é errado é querer ganhar discussões como se seu ego dependesse disso. Ambos devem ceder um pouquinho e chegar num consenso.

2. valorize a confiança.
Mesmo que vocês não sejam amigos há muito tempo, quando alguém confia em você ela mostra que valoriza sua amizade. Lembre-se que a quantidade de tempo não interfere em nada na qualidade das amizades.

3. não deixe o ciúmes atrapalhar.
Amizades e relacionamentos amorosos são extremamente parecidos e o ciúmes em excesso pode atrapalhar ambos. Aceite que seu melhor amigo tem outros amigos e que existem coisas que talvez ele não conte a você, ou que às vezes ele preferirá passar um tempo com eles do que com você. Ambos precisam de espaço de vez em quando e isso não quer dizer que vocês sejam menos amigos.

4. dê espaço.
Sabe aqueles dias que você não tem vontade de falar com ninguém? Pois é, pasme: todos passam por isso. Se um dia seu amigo não parecer 100% disposto a conversar, não insista, dê espaço, mas deixe claro que estará lá quando ele precisar.

5. não os deixe de lado por ninguém.
Saiba identificar quem são seus "amigos" e quem são "conhecidos". Valorize aqueles que você sabe que pode contar para qualquer coisa e priorize-os sempre. Não vale a pena deixar um amigo de verdade de lado por alguns programas divertidos com conhecidos.

6. demonstre.
Todo mundo gosta de sentir-se amado, você e seus amigos não são exceções. Demonstre o quanto você valoriza a amizade deles, seja com um post no facebook, uma mensagem de "sinto sua falta" ou "eu te amo", com um programa divertido, com um textão, uma longa conversa... não importa como, cada um tem seu jeito de demonstrar, o importante é fazer.


05 abril, 2016

Sobre relacionamentos e experiências

Quando tu é adolescente e termina um relacionamento, provavelmente pessoas mais velhas ou experientes vão te dizer as mesmas coisas: "isso passa", "daqui a pouco tu nem lembras mais" ou "logo tu conheces alguém novo" e o pior é que por mais que não aceitemos eles estão certos.

Nos primeiros dias, é impossível pensar na pessoa sem uma dorzinha no coração, é impossível evitar olhar as redes sociais dela para saber se está tudo bem ou se ela está tão mal quanto você. A sensação que fica depois que a pessoa amada vai embora é de que ninguém nunca vai preencher esse vazio, de que nunca vamos encontrar alguém igual. Por favor, mais de sete bilhões de pessoas no mundo e só uma é capaz de te fazer realmente feliz? Não sei como podemos pensar nisso, mas pensamos. Achamos, mesmo que por alguns segundos, que ficar sozinhas é nosso destino.

Mas deixa eu te contar uma coisinha: não é. Terminar um relacionamento pode ser a melhor coisa que já te aconteceu.

Até agora, entre outros relacionamentos com menos importância, houveram dois na minha vida que me fizeram realmente parar para refletir sobre ficar sozinha e quer saber? Ambos fizeram eu me amar cada vez mais.

Meu primeiro namorado era um machista terrível, ciumento obsessivo, controlador, mas eu tinha só 15 anos e nenhuma consciência sobre o feminismo (felizmente, isso mudou), então caia nos joguinhos dele e acreditava que se ele me deixasse, ninguém mais me faria feliz. Nunquinha. Até que ele me deixou.

Se tu não lembra como é terminar o primeiro namoro, deixa que eu te conto: tudo que tu quer fazer é chorar e, no meu caso, implorar para voltar. Eu sempre fui dessas, não largo o osso até que não tenha mais nada para roer. Não desisto até esgotar todos meus recursos. Tento até ter 100% de certeza que não há mais nada para que voltar.

Continuando: eu chorei, chorei por semanas. Parecia que nada era tão bom quanto a companhia dele e que minha vida só seria boa se ele estivesse comigo (e olha que não ficamos nem um ano e meio juntos). Sabe o que eu descobri? Que tinha sim alguém que me faria muito mais feliz com ele, alguém que faria minha vida ser a melhor possível: eu mesma.

Comecei a sair, no início pra atingir ele mesmo, pra ele achar que eu estava tocando minha vida e curtindo ao máximo. Infantil, eu sei. Só que eu comecei a gostar realmente de sair, voltei a ler meus livros, assistir minhas séries, voltei a ter tempo para mim e aproveitar minha própria companhia, até conhecer o segundo amor da minha vida.

Só para constar que esse papo de "o amor da minha vida" é besteira, não temos O amor, temos vários. Porque amar é acreditar que colocar a tua felicidade nas mãos de outra pessoa não é um erro, amar é confiar intensamente e não sei tu, mas eu confio intensamente em muitas pessoas, eu tenho vários amores na minha vida.

O relacionamento com o segundo amor da minha vida durou menos da metade do primeiro, mas me ensinou muito mais. Não vou entrar em detalhes, ele foi e é uma pessoa maravilhosa que num futuro próximo quero que continue do meu lado, mas chegamos ao ponto de haver mais mágoas do que qualquer outra coisa. Acontece. Não quer dizer que deixamos de nos amar, só precisamos nos afastar para nos recuperarmos. 

O segundo rompimento foi, de certa forma, mais fácil e mais difícil de lidar. Mais fácil porque tu já passou por isso antes e sabe que, uma hora ou outra, tudo passa, que não é só uma pessoa que vai te fazer feliz pro resto da tua vida, que terminar um relacionamento faz com que tu tenhas mais tempo pra ti e conheça pessoas novas, lugares novos, coisas novas. Mais difícil porque a tendência é sempre tu gostar mais da próxima pessoa com quem te envolveres (até porque, se fosse pra gostar menos que do anterior, pra que né?), mais difícil porque aquela angustiazinha que tu já tinha superado, aquela que te faz pensar que o teu destino é ficar sozinha, volta. Os sentimentos são mais ou menos os mesmos que os do primeiro término, exceto que tu chora menos e leva menos tempo para te recuperar. Fica mais fácil, eu juro.

Então, quando terminas um relacionamento, tens que pensar que chorar não vai trazer ninguém de volta, que implorar quando o outro não quer mais só vai fazer tu te arrepender depois. Outro dia, conversando com uma amiga, admiti que sempre corria atrás do meu ex tentando reatar, que eu não tinha isso de orgulho quando amava alguém e ela me disse que o orgulho às vezes é essencial para sabermos se a outra pessoa sente o mesmo que a gente. Corre atrás uma, duas vezes, a terceira é a vez do outro e, se ele não vier, bola pra frente. A melhor coisa para superar um término é ocupar a cabeça, seja com filmes, séries, livros, trabalho, estudo... Cada relacionamento vai te ensinar uma coisinha ou outra, seja relevar pequenas coisas, fazer pequenos sacrifícios, ser mais desconfiada, não aceitar o que te impõem, ver que não é só um que vai te fazer feliz. 

 Lembra: mais de sete bilhões de pessoas no mundo, sem O amor da tua vida.

19 março, 2016

[Semana Pérolas] Lançamento no RJ (evento presencial)

Para encerrar a Semana Pérolas (ahhhh :( ), trouxe pra vocês o evento presencial do lançamento no Rio de Janeiro.

18 março, 2016

16 março, 2016

[Curiosidades + Quotes] Pérolas da minha surdez

Se você ainda está em dúvida se vale a pena ou não adquirir seu exemplar do livro, vem conferir uns quotes e umas curiosidades sobre a obra!



14 março, 2016

[Semana Pérolas] Vem conhecer a Nuccia e suas obras!



“Meu nome é Nuccia, muito prazer. Ao longo da vida, adquiri responsabilidade, uma cadela São Bernardo, 254.326 botas de cano alto e um tumor benigno do sistema nervoso. Em 2007, lá estava eu, quase bióloga, aspirante ao Mestrado, finalizando o aprendizado artístico, quando acordei sem ouvir nada: surdez total.
O que fazer quando a vida passa por cima de você, virando seu mundo de cabeça para baixo, criando um isolamento comunicativo em meio a uma multidão social? Simples de saber, complexo de fazer: você se adapta.
Aprendi a fazer leitura labial, meu cérebro nunca para de cantar, distingo os ritmos pela quantidade e espaçamento das vibrações de sons graves na melodia. Escolhi continuar vivendo bem com o que me restou ao invés de parar a vida por causa daquilo que perdi.”


Essa semana o blog estará participando da "Semana Pérolas" que tem o objetivo de divulgar a obra "Pérolas da minha surdez" da autora Nuccia De Cicco. Que tal conhecermos um pouco da autora, dessa obra e de outras?

Nuccia De Cicco é bióloga, Doutora em Bioquímica, escritora, poetisa, bailarina e blogueira. Carioca de paixão, moradora de Santa Teresa, bruxa até o fundo da alma, é apaixonada por livros, viciada em seriados, louca por tatuagens e lambidas caninas, além de ter uma queda saudável por cafajestes. 
Aos 27 anos, uma doença genética a deixou surda e, desde então, ela luta contra seus próprios dilemas, contra as dificuldades do mundo silencioso e o preconceito auditivo de quem ouve. Suas histórias foram publicadas no livro “Pérolas da minha surdez”, uma obra cheia de luta e força de vontade.

O livro "Pérolas da minha surdez", que você pode ver a sinopse e o texto da orelha lá em cima, tem 122 páginas e já está em pré-venda! Você pode adquirir o seu por aqui com a autora, aqui na Amazon ou aqui pelo site da editora. Se ainda não tiver certeza de que quer adquirir, pode degustar no Wattpad ou no Widbook 

Se você ficou interessado pela história e quer saber mais, adicione o livro no Skoob, curta a Fanpage do Pérolas, da autora e confira abaixo outros links onde você pode saber mais sobre a trajetória da Nuccia, ver entrevistas e conhecer as outras obras dela (algumas são gratuitas, que tal dar uma olhada e conhecer o estilo de escrita dela?!)

• Entrevista concedida ao Gazeta da Semana
Entrevista concedida ao 1º FLAL (Festival de Literatura e Artes Literárias) 
Blog da autora 
Twitter 
• Instagram 
Google+ 
• Canal Youtube
Skoob perfil 
Skoob Autor 
Wattpad 
Widbook 

Para conhecer as outras obras da autora, é só clicar no Wattpad, Widbook ou no próprio título


1 – Contos de uma noite insólita:
Coletânea (contos de diferentes gêneros) disponível on-line, gratuita:
Wattpad   Widbook  

2 – Uma vida em mil poemas:
Coletânea (poesias) disponível on-line, gratuita:
Wattpad  Widbook

3 – Participação em antologias:
Amor e Morte 
Sombras e Desejos
Vida e Verso
Eu me ofereço – Tributo a Stephen King 
Minicontos Coloridos
Através da Escuridão

© Devaneios Estrellares - 2014. Todos os direitos reservados.
Criado por: Design Divino.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo